Resenha - A Culpa é das Estrelas.

Enfim, o tão comentado “A Culpa é das Estrelas”. Fiquei um tempo pensando se valeria mesmo a pena ler, acho que eu que criei uma aversão sobre ele, pelo fato de todo mudo falar, recomendar e etc. Bom, acontece que finalmente me rendi a ele, e acho que nunca chorei tanto lendo um livro. Esse livro foi feito na medida certa! Apesar dos diálogos e de algumas palavras difíceis. A verdade é que eu ri com a mesma intensidade com que chorei! Certamente é um dos meus livros favoritos. 
Quando eu ganhei ele de meu colega, foi muito emocionante.



Esse livro fala sobre Hazel Grace, que é uma paciente com câncer e sofre todos os dias com isso. Carregar um cilindro para onde vai, não é fácil. Ela tem medo de se apaixonar, tem medo de se relacionar com alguém e quando morrer deixá-la sofrendo. Mas isso mudo quando ela conhece Augustus (Gus), um adolescente vítima do câncer que precisou amputar a perna, que aparece no grupo de apoio junto com seu amigo. A aproximação é instantânea, e mesmo receosa, Hazel vai se entregando aos poucos, dividindo confissões e segredos aos poucos, para quando percebe já não conseguir mais se afastar de sua paixão e melhor amigo.

Assim que folhei a primeira página, respirei fundo e comecei a leitura porque no fundo, eu sabia que algo ruim iria acontecer. Mas eu estava curiosa e, sinceramente, não me arrependo. É o livro mais lindo que já li em toda minha vida. John Green transmite uma realidade trágica, mas que ao mesmo tempo, sabemos que é a mais pura verdade. Como diz a Hazel, "Alguns infinitos são maiores que outros." E mesmo que torçamos para que no final tudo dê certo, mesmo que nos revoltemos porque no fim isso não aconteça, se fosse do outro jeito não seria culpa das estrelas. 

Eu gostaria de saber de Hazel demorou muito a morrer. Se ela sofreu, se foi rápido, indolor... são tantos 'se' e eu sei que nunca vão ser respondidos.

Esse livro pode ter virado modinha, mas foi um dos únicos livros que me ensinou a aproveitar a minha quantidade de 'números' enquanto eu os tenho sem certa limitação, e ele ficará pra sempre na minha mente, no meu coração.










Nenhum comentário:

Postar um comentário