Bárbara.

Sinopse: Bárbara é uma menina feliz, deseja o bem a todos que gostam dela, muda de cidade e acaba de apaixonando por um menino, um menino que será capaz de mudar a vida dela radicalmente.
Bárbara, 16, Capricorniana

Diário: Olá meu querido diário. Eu estou muito triste hoje, eu irei mudar de cidade. Meu pai recebeu uma nova oportunidade de trabalho. Já arrumamos nossas coisas, agora só esperar o caminhão chegar para pormos  os móveis dentro dele para poder levar para a caridade! Eu não queria me afastar daqui, eu não queria me afastar das verdadeiras amizades que eu fiz, por mim eu continuaria aqui para o resto de minha vida. Tiffany, Gabriela, Fernanda, e Leticia, elas vão fazer muita falta.

- Venha filha, vamos para a casa! - Minha mãe disse
Bufei e tive que concordar: - Vamos né.. - Entrei no carro, no banco da frente ia minha mãe no passageiro, pai no volante e eu e meu irmão nos bancos traseiros. Chegamos na casa que moraríamos, a casa era muito bonita mais eu não achei a mesma coisa que a outra.. Demoraria para me acostumar
- Você vai ficar nesse quarto.
- Tá.. tchau! - fechei a porta, peguei as minhas malas,  joguei em cima da cama (a casa já era mobiliada) e comecei a guardar as roupas no armário.
                   Já tinha guardado tudo, minha mãe entra no quarto com a maior pressão mandando eu descer que eu estava muito tempo em casa, para conhecer a cidade.
- Como conhecer a cidade? Sozinha? Com o meu espírito? Haha. Nem morta!
- Eu to mandando. - minha mãe
- Não!
- Não me peça nada também. Quero ver na hora que você cansar de ficar em casa! - resmungou
- Não!
                 Peguei meu celular, conectei na rede 3G entrei no meu twitter para ver as atualizações e não tinha nada de bom naquilo, estava muito chato aquilo já. Liguei a televisão do quarto e fiquei lá assistindo um que passava na Sky chamado 'Um geek encantador', eu não estava nem ai se minha mãe mandasse eu sair do quarto, eu não sairia, assistindo o filme acabei pegando no sono, fiquei cochilando no mesmo.
Acordei com meu irmão me cutucando.
- Fala Raul.
- Aqui tá chato né? - perguntou
- Até demais. - revirei os olhos.
- Vamos sair?
- Raul.. eu aqui, sozinha, alone, forever, para sempre.. e você ainda pergunta se eu quero sair? Com quem? Só com você?
- É.. - respondeu
- Desculpa.. mais não! E outra.. oque eu vou fazer com um menino de 12 anos na minha cola? Brincar no parquinho? Me poupe..
- Eu aqui, tentando te ajudar, e você me trata assim? nossa, muito obrigada viu Bárbara? Não precisava! - disse o Raul bravo comigo.
- Desculpa.. estou irritada - sussurrei -
- Percebi!
              Joe se levantou e bateu a porta. Gritei: "Bate denovo", ele voltou abriu a porta e bateu. Ele gostava de me desafiar. Aquele menino.. Irritava muito, mais eu continuava amando ele.

           Eu já não aguentava mais de fome, decidi descer, preparar meu lanche e subir novamente, mais não deu muito certo..
- Volte aqui mocinha.. senta ali agora! - Minha mãe mandou
Voltei e fiz o mesmo.
- Você tá pensando que você é dona do seu próprio narizinho? Você sabe que nós viemos para cá por conta do serviço de seu pai, você deveria saber! Mais agora.. se você quer ficar trancada no seu quarto pode ficar, fica, fica mesmo, você irá ver como que é bom isso.
- Acabou? ôká (O.K) Tchau.
Me levantei e fui para o meu quarto levando a bandeja de lanche. Lanchei e tomei banho no banheiro do quarto, dormi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário